Comunidade São Gonçalo Beira Rio


Origem e o povoamento da comunidade de São Gonçalo Beira Rio, em Cuiabá, é datada a partir do século 18, quando as primeiras expedições de bandeirantes paulistas chegaram em Mato Grosso. A missão era capturar índios (Bororos), a fim de torná-los escravos. A comunidade foi um dos primeiros povoados de Cuiabá. Segundo relatos de moradores, a pequena imagem do santo que deu origem ao nome do bairro foi 2 Paul Zumthor estuda a memória em diferentes obras. A partir dessa data o local passou a ter o nome que persiste até hoje. De localização estratégica, à margem esquerda do rio Cuiabá, o primeiro povoado só veio a se concretizar com a descoberta das minas do Coxipó do Ouro, em meados de 1719, sendo denominado de Arraial de São Gonçalo Beira Rio. Para assegurar o direito de posse da área, foi lavrada uma ata de fundação, no dia oito de abril de 1719. Neste período, a região detinha o porto que permitia a comunicação entre as minas e a Capitania. Por isso, próxima à barra do rio Coxipó, foi erigida uma capela dedicada a São Gonçalo. Em 1914, foi montada nas proximidades do povoado, na margem direita do rio Cuiabá, a Usina de São Gonçalo, com produção de açúcar e álcool, que foi responsável pelo crescimento do pequeno núcleo, no qual os lavradores plantavam canaviais, cujo produto vendiam aos usineiros para o consumo nos engenhos. A decadência da produção açucareira de Mato Grosso na década de 1930, aliada à argila abundante acumulada nas margens do rio Cuiabá e nas várzeas, propiciou ao artesanato de cerâmica tornar-se o meio de vida de grande parte da comunidade. No final da década de 1960, a comunidade foi incorporada à área urbana de Cuiabá, quando os técnicos da prefeitura promoveram a alteração de sua denominação de São Gonçalo Velho para bairro São Gonçalo Beira Rio. Neste período, diversas chácaras em torno de São Gonçalo foram loteadas, dando origem a novos bairros. Ao final dos anos 1990, verifica-se uma preocupação, por parte do poder público e da sociedade civil, de revalorizar o patrimônio cultural construído em tempos passados. Como exemplo dessa preocupação, pode-se citar o tombamento municipal, em dezembro de 1992, que declarou o bairro de São Gonçalo área prioritária para o estímulo à produção e à comercialização da cerâmica artesanal, como uma das mais antigas e tradicionais manifestações culturais do município de Cuiabá, e a festa de São Gonçalo como manifestação popular de interesse para o patrimônio cultural do município de Cuiabá. Desde os tempos do povoamento, o traço cultural já era forte na região. A presença dos índios Coxiponés ficou refletida nos traços dos moradores de São Gonçalo, nas rimas e músicas, na cerâmica, na pesca, no uso de plantas medicinais, na canoa feita de um tronco de árvore, na benzedeira, nas danças, dentre outros aspectos culturais que são mantidos até os dias atuais. Os bailados de cururu e siriri, as festas de santo e a arte oleira davam uma mistura peculiar a essa comunidade. Atualmente, a população do povoado é de aproximadamente trezentos moradores, distribuídos em setenta famílias com algum grau de parentesco.

#SãoGonçaloBeiraRio


Associação Cultural Flor Ribeirinha

  • +55 (65) 9 9204-8404 | 9 9238-6629 - Jeferson Guimarães
  • +55 (65) 9 9262-0881 | 9 9234-7699 - Avinner Augusto
  • contato@florribeirinha.com.br


Todos os direitos reservados ©

Desenvolvido por Rodrigo Lopes (65) 9 9647-3769